THEDAS Mapa-Múndi

6 LUGARES PARA REVISITAR NO DRAGON AGE INQUISITION

Texto transcrito de Dragon Age

Você já deve ter notado que o mundo aberto de Thedas é bem grande. De fato, até há uma chance de que alguns de vocês que estão lendo isso ainda não tenham partido das Terras Distantes. Embora as Terras Distantes sejam uma área imensa com muita coisa para se fazer, vocês ficariam surpresos em descobrir que não é nem mesmo o maior local do jogo!

Talvez vocês tenham completado Dragon Age: Inquisition e achado que exploraram todas as áreas de cabo a rabo… mas exploraram mesmo? Sentamos com as equipes de design de nível e pedimos para contarem as histórias por trás da criação delas. Você sabe o porquê do nome Desertos Sibilantes? Você sabe que nível foi inspirado pelo parque nacional Canyonlands do sul de Utah? Achou a cabana do eremita? Temos as respostas para essas e outras questões!

1. Os Caminhos do Oeste/The Western Approach

Os Caminhos do Oeste são um local com uma longa história, e não apenas lendas! Esse nível foi tocado por quase todos os designers do projeto em algum ponto, com a influência criativa de cada um deles. E também tem alguns segredinhos bem guardados que o CQ levou meses para encontrar. Como um cálice escondido e um pote de ouro! Os Venatori fizeram um esforço considerável para o chefe deles, mas, se tudo correu bem, tudo deve ter sido tomado por um jogador arrojado. – Baastian Frank, Designer Chefe de Nível

2. Bosque Eriçado/Crestwood

Com o Bosque Eriçado, eu e minha equipe lutamos por um espaço inóspito com um tema forte que se alinhasse com a história principal. O jogador pode ver em primeira mão o que as fissuras fazem com as pessoas comuns e descobrir os mistérios da Vila do Bosque Eriçado.

Sendo fã de lutas desafiadoras, minha área predileta para planejar foi o Forte do Bosque Eriçado. Com o olhar agudo para espaços de combate do meu artista, Andre Santos, e as histórias divertidas e interessantes da minha roteirista, Sylvia Feketekuty, o Forte é um espaço do qual eu me orgulho. Mas tome cuidado com o que espreita nos seus porões. 😉

Antes de deixar Bosque Eriçado para se aventurar por outros lugares, não deixe de descobrir os Brejos Sombrios e dar uma olhada no que vive à beira do lago… e talvez trazer uma poção ou duas. – Raylene Deck, Designer Técnico

3. A Costa da Tormenta/The Storm Coast

Nosso objetivo com a Costa da Tormenta foi fazer uma área que se autodirigisse o máximo possível. Quando jogarem pela área, dirão que há menos tramas roteirizadas do que em outras áreas. Isso foi intencional de nossa parte. Realmente, queríamos impulsionar a ideia de que vocês fazem suas próprias histórias na área.

Na Costa da Tormenta, tentamos dar aos jogadores vários caminhos para abordar um único problema: os bandidos. Claro, vocês pode eliminar o bando inteiro, e estariam certos, já que eles massacraram as tropas da Inquisição. Entretanto, uma abordagem melhor seria cortar a cabeça deles, e usar a organização para seus próprios objetivos. Especialmente se precisarem de uma ajudinha a mais em poder. (Encontrou o diário perto dos seus soldados?)

O outro aspecto de que gostamos é que a área realmente parece tempestuosa – Andrew, o artista de nível, fez um trabalho fantástico! Um dos nossos momentos favoritos é descer à costa bem em frente do primeiro acampamento e ver o dragão voando ao redor na neblina sobre as ondas quebrando.

Por ser autodirigida, a área tem várias coisinhas legais para se descobrir. Encontrou a cabana do eremita lá pelo meio do caminho? Ele está fora cuidando de outros assuntos e não gosta quando as pessoas pegam suas coisas! – Jason Hill, Designer Técnico e Kaelin Lavallee, Designer Chefe de Narrativa

4. Desertos Sibilantes/The Hissing Wastes

Os Desertos Sibilantes são chamados assim por causa do som que a areia faz com o vento, e areia é o que não falta! Esse é, de longe, o maior espaço do jogo e perfeito para o jogador explorador sair catando cada migalha de informação, ou para os fãs da cultura anã. É um lugar desolado, mas bonito, com largas paisagens e uma sensação real de espaço ilimitado. Tem boas recompensas para quem vem aqui. Descobrir os segredos há muito perdidos de um anão famoso já é razão suficiente para os Venatori virem aqui, e vocês também! – Baastian Frank, Designer Chefe de Nível

 

5. Atoleiro Inculto/The Fallow Mire

O Atoleiro Inculto é uma das minhas áreas favoritas para desenvolver porque ele pretende ser um nível “temático”. Isso significa que selecionamos um único tema de jogo para a área e criamos a atmosfera. Queríamos criar um contraste entre o “caminho seguro” e as áreas de exploração; é por isso que explorar essa área parece exigir mais coragem e ser mais recompensador.

O que eu gosto ainda mais, é criar a história do que realmente aconteceu na área e explicar algumas partes apenas com o visual para as pessoas inferirem enquanto exploram. Acho que essa é a área mais adequada para exploradores audazes que gostam de uma boa atmosfera e um jogo desafiador. – Francois Chaput, Designer de Nível

Eu sempre gostei da atmosfera desse nível e de como se pode ver o pântano tomando a vila abandonada. Deixamos um monte de fragmentos de anotações e jornais velhos para os jogadores que estiverem curiosos sobre o que aconteceu à Ponta do Pescador. Os fãs da literatura de horror já devem ter notado que os sobrenomes nesses jornais foram todos tomados das histórias de H. P. Lovecraft. Pareceu apropriado, dado o espirito sombrio do Atoleiro. – Sylvia Feketekuty, Roteirista

6. O Oásis Proibido/The Forbidden Oasis

O Oásis Proibido foi um lugar realmente interessante de se trabalhar. A ideia para a região nasceu do desejo de se tentar algo diferente do que estávamos acostumados – um mapa vertical que desafiasse a capacidade de exploração dos jogadores. No passado, estávamos limitados a criar espaços virtualmente bidimensionais com poucas variações de altura. Passar para o Frostbite significou que essa restrição não mais existia.

A aparência e sensação desse nível foram inspiradas pela geografia dos Canyonlands, no sul de Utah. A superfície é quente, desoladora e cercada por um deserto sem fim. Mas, ao tentar descer pelo labirinto de cânions, você descobrirá as Piscinas Naturais, um oásis fervilhando de vida selvagem.

Apesar de ser um dos menores mapas do jogo, o Oásis Proibido permite uma quantidade impressionante de exploração, desafiando suas habilidades de navegação e lhe atraindo para cavernas tortuosas que fazem você subir e descer tanto quanto ir para a frente e para trás. Ao tentar examinar as paredes de pedra no lusco-fusco dos ocularums, muitos fragmentos e recompensas são descobertos.

No centro do oásis há uma porta antiga e majestosa que se abre para uma rede de masmorras que se aprofunda na rocha do deserto. Use o poder dos fragmentos encontrados por toda Ferelden e Orlais e você conseguirá desbloquear essas masmorras e recuperar um item mágico selado séculos atrás. Caixas nas masmorras lançam feitiços que aprimoram a resistência do Inquisidor à magia, o que é bem útil quando se luta com dragões.

Porém, meu ponto favorito no Oásis Proibido tem que ser o mirante de Stratos. Ao se conseguir percorrer o labirinto de cânions e chegar a esse mirante, você será recompensado com uma vista magnifica do cânion inteiro e o deserto sem fim que se estende além. – Brad Paras, Designer Chefe de Nível

 

 

Referência

6 LUGARES PARA REVISITAR NO DRAGON AGE INQUISITION

http://www.dragonage.com/#!/pt_BR/news/6-places-to-revisit-in-dragon-age-inquisition