(Dragon Age: World of Thedas Volume 1, tradução nossa)

Nenhum grupo no registro histórico tem impactado a vida em Thedas mais do que a Chantria. A influência desta igreja do Criador prevalece na maioria dos reinos do continente, e a maior parte da humanidade se limita à uma declaração de seus princípios. A crença no Criador iniciou guerras e forçou aqueles que estão fora da Chantria para à margem da sociedade. Mesmo o calendário mais comum em Thedas, que separa o tempo em eras, é mantido pela Chantria.

No coração desta religião monoteísta os ensinamentos da profetisa Andraste, reunidos no livro sagrado da Chantria, o Canto da Luz. Os fiéis da Chantria acreditam na autoridade divina do Criador e adoram-no em templos chamados capelas.

Sua fé está enraizada em quatro princípios fundamentais:

I. A magia é uma influência corruptora no mundo.

II. O pecado do orgulho da humanidade destruiu a Cidade Dourada e criou as criassombrias, encarnações terríveis daquele pecado.

III. Andraste era a noiva do Criador, uma profetisa e mártir cujo sacrifício supremo deve ser lembrado e honrado.

IV. A humanidade pecou e deve buscar a penitência para receber o perdão do Criador. Quando todos os povos se unirem para louvar o Criador, ele retornará ao mundo e torná-lo-á num paraíso.

chantry

Referência

Dragon Age: World of Thedas Volume 1 , p. 111