Embora a maioria de meus contemporâneos discuta se a Quinta Podridão foi uma Podridão de verdade ou apenas uma grande ressurgência de criaturas sombrias, os historiadores concordam que ela começou nos pântanos das Terras Selvagens de Korcari na fronteira sudeste de Ferelden no ano de 9:30 da Era do Dragão.

O Rei Cailan Theirin foi veloz na resposta à ameaça, reunindo o exército real, todos os Guardiões Cinzentos no país e enviando um pedido de ajuda à nobreza fereldana. Os exércitos reunidos armaram uma emboscada nas ruínas de Ostagar, esperando esmagar as forças antes que elas chegassem à civilização. Porém, falharam. As criaturas sombrias sobrepujaram os defensores de Ostagar e dizimaram o rei e seu exército. Depois continuaram a avançar por Ferelden sem oposição. Somente dois Guardiões Cinzentos escaparam do massacre. E de algum modo, encontraram antigos tratados que compeliam as raças de homens a se unirem contra a horda crescente.

Os guardiões sobreviventes conseguiram chegar à Fortaleza de Kinloch, lar do Círculo fereldano, e recrutaram os magos.

Em desespero para encontrar mais aliados, eles partiram para a Floresta Breciliana procurando os dalishianos. Os elfos também se juntaram ao crescente exército.

Os guardiões partiram então para as Estradas Profundas, procurando a Paradigma Branka na esperança que ela pudesse resolver as controvérsias de Orzammar e reunir os anões em uma batalha contra o Arquidemônio. Eles não conseguiram localizar Branka, mas outro Paradigma foi encontrado: o lendário Caridin, que forjou uma coroa que encerrou todas as dúvidas sobre a sucessão.

Bhelen Aeducan foi coroado rei de Orzammar e os exércitos dos anões marcharam rumo à superfície.

Apesar do sucesso deles, muitos desafios ainda estavam por vir.

– De Um Estudo da Quinta Podridão, por Irmã Petrine, acadêmica da Chantria

The_battle_of_denerim

Um Estudo da Quinta Podridão Vol. II