hawke_isabela_getting_friendly_by_revan654-d3ratjc

O que acho mais interessante é que, apesar de pouca discussão aberta sobre questões da sexualidade humana, há características comuns a seu respeito em todas as terras andrastianas. Em geral, os hábitos sexuais de uma pessoa são considerados naturais e separados da procriação, e somente entre a nobreza, onde a procriação envolve questões de herança e a união de famílias poderosas, é considerada de vital importância. No entanto, mesmo aí, um nobre que cumpriu seu dever para com a família pode perseguir seus próprios interesses sexuais sem causar desaprovação.

A visão de se entregar à luxúria com um membro do mesmo sexo varia de lugar para lugar. Em Orlais é considerado um traço da personalidade e nada mais. Em Ferelden, é matéria de escândalo se feito indiscretamente mas, do contrário, nada digno de nota. Em Tevinter, é considerado comportamento egoísta e desviante entre nobres, mas incentivado ativamente com escravos favorecidos. Em lugar algum é proibido, e todo tipo de sexo só é considerado digno de julgamento quando levado a excessos terríveis ou feito publicamente.

– De em busca do conhecimento: As viagens de um acadêmico da Chantria por Irmão Genitivi.

Agradecimentos a Raphael Alvim.