Dragon Age Inqusiition_capa

Por Nívea Miranda

XBOX Power 21/01/2016

Dragon Age: Inquisition foi sem dúvida um dos jogos que mais curti e joguei em 2015, o jogo me encantou e me envolveu como poucos em toda a minha vida. Por ser um jogo especial, aguardei que todo o conteúdo extra fosse lançado para entrar de cabeça nessa viagem por toda a minha incrível experiência no mundo de Thedas. Se acomodem em um lugar confortável e preparem um lanche pois será uma longa jornada, mas recheada com a magia do incrível jogo da Bioware.

Inquisiton é o terceiro jogo da franquia Dragon Age, e ele foi idealizado para agradar os já existentes e exigentes fãs da série, mas também para atrair um novo público que nunca havia jogado ou conhecido os jogos anteriores, uma tarefa árdua, mas que foi atingida com louvor. Os fãs receberam um jogo que deu continuidade às suas aventuras anteriores e os novos puderam adentrar nesse universo sem se sentirem excluídos ou perdidos. O jogo da Bioware te abraça desde o começo, quando você cria seu personagem e já se sente conectado com ele, moldando seu caráter desde o começo e buscando o melhor caminho a seguir com sua missão. Seu personagem será jogado em turbilhão de acontecimentos onde ele se torna a pedra chave para decifrá-los, logo você se verá como líder de um monte de pessoas que você não conhecia, terá que criar laços com eles e ainda restaurar a ordem em Thedas que virou um caos desde que fendas aparecem por toda parte trazendo demônios poderosos e que só você é capaz de fechar com a marca que você possui em sua mão. Para acabar com esse mal, você irá liderar a Inquisição, uma ordem antiga que foi reestabelecida para acabar com essa ameaça misteriosa. Esse é o tema do jogo “Lidere-os ou Fracasse”.

Dragon Age: Inquisition é belíssimo, os cenários são de babar e a história é muito interessante e com uma narrativa que te envolve de maneira ímpar desde o começo. Uma série de acontecimentos levam Thedas a um turbilhão de acontecimentos onde os Dragões assolam os reinos, os magos declararam guerra contra os templários, nações entram em batalhas sangrentas contra as outras e fissuras assombram Orlais e Ferelden. Você terá que assumir a liderança da Inquisição para restabelecer a ordem, você terá que explorar os reinos em busca de aliados e recursos, liderar uma organização e seus participantes sempre estreitando seus laços com eles e ainda terá de batalhar contra inimigos fortes e desafiadores. Você sempre estará no centro de escolhas difíceis que podem alterar drasticamente o progresso de tudo no jogo. Conquistar a confiança daqueles ao seu redor é primordial, afinal de contas você sobreviveu a uma explosão misteriosa e ganhou uma marca na mão capaz de selar as fissuras e determinar o futuro de todos, mas você também ganha muita desconfiança pois ninguém entende o que aconteceu e para piorar você não se lembra de nada.

Você terá que conquistar a confiança dos companheiros que você consegue recrutar para a Inquisição, isso se dará por meio de diálogos que lhe irão conferir aprovação ou não de seus companheiros, missões secundárias deles também irão estreitar os laços e expandir a história de Dragon Age: Inquisition. Não pense que esse recrutamento será fácil, você terá que mover céus e terra para juntar seus aliados e ter muito jogo de cintura para fazer deles seus amigos. Essa aproximação é parte muito importante do jogo, ela revela mais da história desses personagens que são muito interessantes e que possuem trajetórias e personalidades incríveis. Seu personagem também pode se apaixonar e viver um grande amor com um desses companheiros, no decorrer do jogo abrem opções de diálogo que levam para uma linha mais romântica e pessoal, que pode gerar um grande romance na trama do jogo.

Outra maneira de expandir seu domínio e ganhar pontos de poder para melhorar seu personagem é realizar as missões cronometradas na mesa de guerra.  A mesa de guerra desbloqueia novas áreas, missões, itens e aumenta a influência da Inquisição em Thedas. Cada missão possui uma particularidade que dependendo de quem você envie, ela termina mais rápido, se for uma missão de espionagem, Leliana pode concluí-la em tempo menor, se for algo com força bruta é melhor que Cullen se encarregue com suas tropas, já se for algo envolvendo diplomacia é melhor que Josephine resolva. Cada missão possui um tempo específico e esse tempo corre nosso tempo real, independente do jogo estar aberto ou não.

Confesso que no começo fiquei bem perdida com tanta coisa para fazer no mapa ao mesmo tempo, mas aos poucos você vai se acostumando. O mapa é imenso e cada região possui particularidades, mas todos são extremamente imersivos, bem detalhados e lotados de informações e itens que te fazem explorar cada canto incessantemente. Faça tudo que aparecer no mapa, pois essas atividades te rendem pontos de poder que são muito importantes para abrir novas missões e avançar no jogo. As regiões são bem densas e lotadas de inimigos e com muitos lugares que devem ser explorados, o que vai te render muitas e muitas horas de gameplay, horas que serão extremamente agradáveis pois a história de Dragon Age: Inqusition te envolve de tal maneira que é como se você fosse parte de tudo o que está acontecendo, a imersão é tão grande que é quase impossível não se ver no seu personagem, como se ele fosse parte de você.

O combate de Dragon Age: Inquisition é extremamente dinâmico e voltado para a ação. As batalhas em tempo real são extremamente divertidas e em muitos momentos requerem uma boa dose de estratégia dos jogadores. Durante as batalhas você terá uma série de habilidades que poderá usar, respeitando o tempo de carregamento de cada uma delas, e escolher a melhor maneira de explorar a fraqueza de cada inimigo para derrotá-lo. Além do seu personagem você também poderá alternar entre os outros três companheiros que você escolheu para te acompanhar, você poderá equipá-los com itens e escolher suas habilidades, essa alternância é fácil de ser realizada, aumentando o dinamismo das batalhas. Também é importante caso um dos companheiros fique parado ou preso em algum lugar, infelizmente é um bug recorrente no jogo.

Outra característica interessante de Dragon Age: Inquisition é a sua câmera tática. Com ela você pode parar o tempo e escolher a melhor estratégia para terminar cada batalha, você poderá escolher qual habilidade que cada personagem irá usar e qual comportamento cada um irá seguir. A câmera tática não se mostra imprescindível nos modos mais fáceis do jogo, mas caso você se aventure no modo pesadelo ela será uma ferramenta muito importante.

Uma parte muito importante de Dragon Age: Inquisition é a personalização do seu personagem, logo no início do jogo você irá cuidar de todos os detalhes da criação dele, o que torna a aventura ainda mais imersiva e personalizada para cada jogador.  O sistema de personalização é bem completo, que agrada tanto aqueles que não querem perder muito tempo nessa etapa quanto aqueles que preferem criações mais complexas. As raças disponíveis no jogo são: Humana, Anão, Elfo e Qunari. Essa etapa é muito importante na sua ventura por Thedas, pois você irá um ser único na comunidade de Dragon Age, pois com tantas opções de customização você poderá se deparar com alguém parecido, mas nunca igual ao seu Inquisidor. A escolha da raça e sexo tem influência nos romances, determinando aqueles que poderão ou não serem seus pares românticos. A escolha da classe também é importante pois irá determinar o tipo de combate que você irá desenvolver nas batalhas, o jogo possui como opções: Mago, Ladrão e Guerreiro.

Cada personagem possui uma árvore de habilidades que podem ser melhoradas conforme você ganha postos de habilidade ao subir de nível. Além do seu Inquisidor você poderá customizar a árvore dos seus companheiros. Essas escolhas são muito importantes para o seu sucesso nas batalhas. Além disso, conforme aumenta o poder de seu personagem, você poderá selecionar uma especialização, que te dará habilidades totalmente novas. Outro ponto importante para as suas batalhas por Thedas são os Benefícios. Esses pontos especiais são adquiridos fazendo missões cronometradas da mesa de guerra e ganhando influência, eles te dão vantagens importantes que vão desde poder carregar mais poções de cura a até conseguir mais experiência nas missões e com os colecionáveis encontrados.

Outro ponto importante para deixar seu personagem forte e a criação e melhoramentos para armas e armaduras. Sempre que voltar para Fortaleza separe um tempo para ver o que pode ser melhorado e construído. Então sempre explore muito para achar planos, materiais e itens para sua equipe.

Graficamente Dragon Age: Inquisition está incrível e soberbo! Explorar cada cantinho de Thedas é uma experiência extremamente deliciosa pois o jogo nos agracia com cenários belíssimos e cheios de detalhes. Destaque para o sistema de iluminação dos ambientes que traz vida aos cenários e deixa tudo ainda mais bonito e real. A arte do jogo também é impressionante, com áreas chuvosas, florestas, desertos, cavernas, palácios, lugares místicos… sem falar na variedade de inimigos e npc’s para interagir. É claro que um jogo dessa magnitude não estaria livre de bugs, às vezes seu personagem fica preso nos cenários ou flutua por eles, mas é algo ocasional e não estraga a diversão, alguns deles são até engraçados.

A trilha sonora é de arrepiar, ela embala com maestria suas aventuras em Dragon Age: Inqusition, trazendo emoção em vários momentos do jogo e adrenalina nas batalhas sangrentas. Uma trilha sonora épica e digna de grandes produções cinematográficas.

Os dragões são a cereja do bolo de Dragon Age: Inquisition e são os maiores desafios dentro do jogo. As batalhas com eles são grandiosas e demandam muita habilidade dos jogadores. Eles são limitados em número e uma vez derrotados não aparecerão novamente. Cada um deles possui virtudes e fraquezas, além de habilidades específicas, então se prepare bem antes de enfrentá-los e estude bem suas características para não falhar miseravelmente nessas batalhas. Seguem algumas das minhas batalhas contra esses inimigos grandiosos.

Dragon Age: Inquisition ainda possui um modo multiplayer. O modo é cooperativo para até quatro jogadores com desafios que consistem em derrotar hordas de inimigos. Ao final você ganha experiência e novos itens para melhorar seu personagem. Vale lembrar que o modo multiplayer é totalmente independente da história principal e nada do que você conquistou com seu Inquisidor será trazido para o multiplayer, assim como nada será levado para o single player. O modo possui microtransações que ajudam na compra de equipamentos com dinheiro real. O modo recebeu um conteúdo gratuito chamado Dragonslayer onde foram adicionados novos monstros, novos agentes, como o guerreiro de Avvar Skywatcher, Zither, o Virtuoso, e a Rainha dos Mares do Leste, Isabela. Além disso, o pacote contém uma nova locação do castelo de Ferelden e dragões para serem derrotados.

O jogo teve inúmeros conteúdos adicionais, mas três deles adicionaram conteúdo para a história do jogo. Vamos analisar um pouco de cada um deles.

  •  Jaws of Jakkon

O jogo começa na Bacia Gelada, o novo mapa, ele tem um tamanho muito bom. A ambientação é bem diversificada, temos praias, rios, pântanos, florestas… Os inimigos também variam muito, mas se preparem para enfrentar muitas aranhas. As atividades também são bem diversas, temos que procurar fragmentos, astrariuns, localizar objetos e fissuras bem desafiadoras.  As casas na árvore são magníficas, não parei de pensar em uma possível referência à Star Wars e sua semelhança com Kashyyyk.

DAI HAkkon

Em relação a história, logo de início a NPC Harding (Aquela que sempre te recebe nas cidades) e o novo NPC, o pesquisador Kenric explicam que estamos no local onde o último inquisidor, chamado Ameridan, desapareceu há 800 anos atrás, nossa missão é descobrir o seu destino e do poderoso dragão que ele caçava. Temos que tentar conquistar a confiança dos avvares para que lutem ao nosso lado e lutar contra os mandíbulas de Hakkon, conhecidos como hakkonetes uma raça que atormenta a civilização. Eles são bem chatos de enfrentar, possuem magos, arqueiros e brutos.

O level dos inimigos está de 24 para cima, mas as recompensas estão muito boas, principalmente nas fissuras. Ir para esse mapa com level baixo vai dar dor de cabeça! Inclusive os gigantes, estão bem overpower, mais resistentes do que nunca! Mas o drop está muito bom, armaduras, armas, planos e materiais de level alto! A duração é muito boa, em torno de 15 horas para explorar e upar bem no mapa. Depois de uma certa parte também ganhamos uma nova habilidade na árvore do Inquisidor.  E depois vem o ápice da DLC, aquele momento que todo fã de Dragon Age espera: enfrentar o dragão! O nome dele é Hakkon, dano de gelo e vulnerável a fogo, level 25.

  • The Descent

De cara a ambientação é bem interessante, apesar de ter muita coisa que já vimos no jogo principal, não deixa de ser impactante descer às Estradas Profundas e conhecer mais de sua história e lendas.  Em relação a ambientação ela se torna épica na parte final, quando uma nova área no mais profundo das entranhas da terra é revelada. Essa parte é tipo UAU! Além de uma trilha sonora de arrepiar! A história é muito interessante, pois revela mais da cultura e histórias dos anões e da vida em Orzammar. Isso me interessou muito, pois não joguei os outros jogos e ele detalham muitas coisas interessantes. A história é contada pela nova NPC Valta e também pelo guerreiro Renn. A história e lendas dos anões e de toda a Thedas vão se formando durante a aventura e isso é bem legal e muito bem explorado. Os dois novos npc’s são muito ricos em histórias e com personalidades marcantes, foram uma maravilhosa adição ao mundo do jogo.

DAI Descent

Agora vamos falar dos inimigos! Eles são muitos e são muito fortes! Todos possuem no mínimo o level 27, então deixem o seu Inquisidor e parceiros bem fortes, para não passar raiva. Durante o gameplay você irá enfrentar muitas hordas de inimigos e no final de algumas delas você terá um boss, que são muito fortes mesmo, uns com ataques muito poderosos e outros com escudos que regeneram o tempo todo.

Uma coisa que me chamou a atenção e eu achei super útil é que no primeiro acampamento tem tudo para o seu Inquisidor: fabricação e aprimoramento de armas e armaduras, poções e troca de companheiros. Lá ainda tem uma mesa de guerra própria da dlc, com missões cronometradas e áreas para serem desbloqueadas. Não precisa voltar toda hora à Skyhold.  Essas missões novas irão abrir ao final do jogo. Uma coisa ruim é que ao contrário da expansão anterior, nessa você não recebe muitas armas, armaduras e planos bons, são poucas as boas adições, e nem tem nova habilidade para o inquisidor como ocorreu em Hakkon. Apesar da pouca variedade de itens ganhei uma adaga muito forte mesmo, e uma armadura muito boa.

armas

No final, eu gostei da expansão, só achei muito curta mesmo, 7 horas são suficientes (Isso se você explorar muito mesmo!). Se compararmos com Jaws of Hakkon essa dlc toma uma surra. Jaws tem um mapa grandioso e novo, uma infinidade de missões, novos e poderosos equipamentos, além de uma duração bem maior, mas vale pela história e por poder voltar à maravilhosa Thedas para mais uma aventura.

  • Trespasser

Essa foi a última dlc da história de Dragon Age: Inquisition ela fecha a história do jogo e é emoção do início ao fim. Ela mostra o que aconteceu com todos da Inquisição após os acontecimentos do final do jogo principal e explica a cena polêmica depois dos créditos finais. Depois de salvar o mundo de Thedas fechando a Brecha, sua próxima missão determina o próprio futuro da Inquisição e é uma corrida contra o tempo para derrotar um grande mal capaz de devastar Thedas.

DAI Trespasser

É muito emocionante rever os velhos amigos e ver como estão suas vidas, você pode conferir na prática quais os resultados das suas escolhas e para onde elas levaram a Inquisição e seus amigos, além de conseguir perceber o impacto delas por toda Thedas. Algo incrível e que aumenta a emoção nessa dlc é ver o carinho e a amizade que seus amigos demonstram por você e ver como eles conduziram suas vidas depois da inquisição. Pode até rolar casamento nessa dlc.

Você trouxe paz para todos os reinos, mas com a relativa tranquilidade começam a surgir pressões para que a Inquisição seja desfeita, enquanto Orlais parece achar necessário que a inquisição exista, Ferelden prefere que esta ela acabe. No meio da reuniuão para decidir o destino da Inquisição um eluvian que estava em Halamshiral é ativado e o corpo de um qunari morto é jogado para o lado de fora. Você precisa atravessar os Eluvians e descobrir de onde vem esses Qunari e o que eles pretendem fazer. A história te prende desde o primeiro minuto de jogo, você não consegue parar de jogar tal é maneira como todos os eventos te envolvem. Além da imersão gigantesca, a dlc traz uma quantidade incrível de conhecimentos sobre os qunari, os elfos e toda a história escondida por detrás de grande parte dos acontecimentos de todos os jogos da franquia.

Além de finalizar de maneira emocionante e magistral a história de Dragon Age: Inqusition, a dlc já aproveitou para apontar qual a direção que o próximo jogo terá. A duração gira em torno de 8 horas, mas a imersão que o conteúdo oferece é incomparável.

Afirmo sem sombra de dúvidas que Dragon Age: Inquisition é o melhor RPG da nova geração! Uma coisa que acho incrível em Dragon Age é a conexão que criamos com nosso personagem, é impressionante como toda a narrativa faz com que a gente sinta na pele os dramas e alegrias da nossa Inquisidora. Torço por ela e faço de tudo para ela ser feliz. Ele é completo não falta nada nele. Ele é aquele jogo que te deixa triste ao terminá-lo e mesmo com suas infindáveis horas de gameplay te dá vontade de jogar tudo de novo. O agradecimento da Bioware ao final da última DLC, como vemos acima, traduz exatamente o sentimento em relação ao jogo, na verdade eu que agradeço por ter tido a honra de jogar esse jogo, que marcou minha vida e que pretendo jogar ainda outras vezes. Como diz uma das conquistas do jogo estou “Marcado para sempre“.

Entenda nossas notas

Referência

Texto transcrito sob autorização de Nívea “Targaryen” Miranda, editora-chefe do site XBOX Power, publicado em 21 de janeiro de 2016 e intitulado Análise Especial Dragon Age.

Acesse: http://www.xboxpower.com.br/