11350648_960324150664582_5765973440458074812_n

 

Por Brendha Lopes

 

Cullen se tornou o bonitão tímido do DA:I, até tachado de Príncipe da Disney, mas o ‘príncipe’ é mais problemático do que parece. O TSPT, Transtorno do Stress Pós Traumático é comum em soldados, mas não é uma doença muito popular aqui. Resolvi então, fazer este post pra quem quiser entender melhor certas cenas do Comandante das tropas da Inquisição. Spoilers do DA:O, DA2 e DA:I a frente.

 


 

O TSPT

TSPT aparece após algum evento traumático de grande magnitude, no caso de Cullen, ele viu praticamente todos os magos e templários do Círculo de Ferelden serem mortos ou transformados em abominações, ele foi o único capturado a resistir (dias, semanas, meses, o jogo não define quanto tempo). Vale a pena lembrar que caso a warden seja maga do círculo, ele terá sido “tentado com a única coisa que ele desejou na vida”.

Sintomas:
1- Trauma constantemente revivido através de pesadelos e flashbacks vívidos.
2- Medo constante de que a situação se repita.
3- Sensação física de desconforto, dor de cabeça, falta de apetite.
4- Isolamento social por medo de reativar alguma lembrança dolorosa.
5- Hiper-excitabilidade psíquica e psicomotora, distúrbio do sono, hipervigilância.

Vamos somar à isso tudo o:

VÍCIO EM LYRIUM

Sintomas (retirado da wikia):
1- Vício (ansiedade, dificuldade de concentração, desejo constante e persistente pela fonte do vício, problemas de sono, irritabilidade)
2- Paranóia
3- Obsessão
E com o uso prolongado: 4- Demência (perda da memória)

Não vou entrar mais que o necessário no Lyrium, isso é bem explicado no jogo, mas o lyrium “ajuda” nos pesadelos e na sensação de controle. Cerca de 70% dos soldados com TSPT também recebem tratamento pra algum vício em drogas.

As lembranças são involuntárias, nítidas como se pertencessem ao presente, trazem sons, odores, sentimentos e sensações exatamente como foram vividas e são difíceis de serem controladas, mesmo a pessoa tendo ciência de que nada é real. É comum soldados ou vítimas de violência com TSPT entrarem em depressão, cometerem suicídio ou desenvolverem atividades compulsivas.
Existe um comportamento único, inconsciente ou não, chamado de reexposição compulsiva, onde o soldado, mesmo afastado, procura situações de risco, assim como Cullen, que permaneceu templário, e sem fugir desse ambiente, desenvolveu uma obsessão pelo trabalho. Cullen é um workaholic, isso torna a pessoa perfeccionista e competitiva. Existe sempre uma necessidade de se esforçar exageradamente para obter resultados melhores, a ponto de sacrificar a vida diária, relacionamentos, etc. por puro medo do fracasso. Fracasso que na mente dele, levaria a situação do círculo de Ferelden à se repetir.
Em DA2 ele menciona pesadelos à Hawke e do medo que o círculo caia de novo, Meredith faz uso dessa paranóia. Cullen no entanto tem força de vontade suficiente pra manter limites, ele chega a dizer que magos não devem ser tratados como gente, mas ao contrário do Origins, não aceita a total anulação do círculo, chegando a colocar um/a Hawke mago/a no poder caso ele/a auxilie os templários. DA2 é o início da superação do trauma.
Em DA:I Há outros sinais da TSPT: o principal é o ataque em que ele pede a Cassandra para encontrar um substituto, sem Lyrium os sintomas se agravam. Na mesa de guerra há um comentário em que Cullen está apático, Leliana pergunta se ele está bem, no que ele afirma ser só dor de cabeça. E logo ao chegar em Skyhold, Sera leva um pedaço de bolo pra ele, até a Sera nota que ele trabalha demais e não se alimenta direito. Varric também ajuda muito tentando estimular Cullen a ser mais simpático (cara feia faz mal pra saúde! Emoticon pacman ) e se enturmar, é comum que quem tenha o transtorno se afaste da família e dos amigos por se considerarem um peso. É bem legal ver que quando ele relaxa tem um comportamento até meio infantil em contraste com o comandante carrancudo, o combo Josie+Leliana na mesa de guerra é bem divertido (-o lago Callenhad tem forma de coelho! derp).

Amizade/Romance:
TSPT envolve sintomas que interferem com a confiança, proximidade emocional, comunicação e afirmação própria, então é comum a perda de interesse social, distanciamento de outras pessoa e falta de interesse sexual.
A pessoa fica emocionalmente entorpecida (“faz muito tempo desde que eu quis alguém na minha vida, não estava esperando encontrar isso aqui… ou encontrar você.”), ansiedade, preocupação, irritação com coisas bobas, medo de flashbacks fazem com que relaxar ou ter um momento mais intimo seja absurdamente complicado. E os pesadelos constantes impedem tanto o sobrevivente quanto a parceira de dormirem tranquilamente juntos.
Por outro lado, caso a pessoa encontre um relacionamento saudável e alguém disposto a ajudar, os laços de amizade/amor podem se tornar muito fortes, podendo se tornar superprotetor e/ou superdependente destas pessoas. É legal ver que ele tem apoio em todos os membros da Inquisição, por mais que ele tente afastá-los, isso é fundamental no tratamento da TSPT.
Culen literalmente foge com a Inquisidora para passar o dia em um lago em Honnleath, porque não há nada lá que o faça reviver o trauma ou lembrar do trabalho, pelo contrário é um lugar cheio de lembranças boas e tranquilidade onde eles podem ficar completamente sozinhos, relaxar e finalmente aproveitar o namoro.
Na cena seguinte, apesar de ainda trabalhar no ritmo de sempre, Cullen finalmente dá uma pausa, ele se confessa pra inquisidora e finalmente aceita que pode dar uma pausa no trabalho sem que todo mundo morra e coloca a inquisidora (literalmente) acima do trabalho. Na manhã seguinte, no entanto, somos lembrados de que ela vai ter que aprender a conviver com os pesadelos e todo o resto incluso no pacote.