Visus

Conhecida como “o Olho Vigilante” na linguagem comum, essa constelação tinha um grande significado para os povos antigos Alamarris e Ciriannes do sul de Thedas. Diz a lenda que a Dama dos Céus abriu um olho para que a luz do seu olhar pudesse guiar o seu povo com segurança para sair da Encosta Gelada. Quando os exércitos de Andraste marcharam para o norte, saindo das suas terras ancestrais para travar guerra contra Tevinter, eles foram guiados pelo Olho, que se tornou o Olhar do Criador, não da Dama, e os levou rumo à vitória. A espada foi adicionada depois. Dizem que a espada que marca o ponto da sua lâmina só apareceu no céu na noite depois da morte de Andraste. A Inquisição antiga adotou Visus como símbolo do seu chamado sagrado quando ela entrou para a fé andrastiana: o Olho representando sua busca por maleficentes e o julgamento do Criador sob as suas ações. Quando a Inquisição acabou e se transformou em Investigadores da Verdade e na Ordem dos Templários, os templários adotaram a espada enquanto os investigadores ficaram com o olho.

– De Estudo de Astronomia Thedosiana, de Irmã Oran Petrarchius