image_zpsdac6480c

Levados a atravessar as Montanhas Geladas na antiguidade, a tribo dos Alamarris se dividiu em três grupos: um se estabeleceu no Vale de Ferelden, um foi empurrado para as Terras Selvagens de Korcari e o último retornou para as montanhas. Os Fereldanos mordenos pouco se parecem com seus ancestrais Alamarris, e os Chasind se lembram de poucas de suas tradições, mas os Avvares pouco mudaram com o passar do tempo.

Como os Chasind, os Avvares não são um povo unido. Cada tribo cuida de sua própria proteção e fica submetido apenas a seu suserano. Eles ainda seguem seus próprios deuses: Korth, A Montanha-Pai, Hakkon Sopro Invernal, A Dama dos Céus, bem como dezenas de deuses animais cujos nomes nunca foram revelados a forasteiros.

Nada dura nas montanhas, Vento e chuva acabam por corroer as fortalezas mais resistentes. Vales aráveis em uma geração ficam o ano todo cobertos de gelo na seguinte. A caça está em movimento constante. Mesmo entre eles, os Avvares não fazem promessas: eles se casam seguindo uma tradição na qual o noivo se bate para desatar uma corda com nós cegos enquanto a noiva canta um hino para um dos deuses. A quantidade de nós que ele consegue desatar antes da canção acabar equivale ao número de anos que ela vai ficar com ele. Habitantes das planícies não raro se esquecem de que não existem alianças permanentes nas Montanhas Geladas.

– De Ferelden: Folclore e História, Da Irmã Petrine, acadêmica da Chantria

Agradecimentos à Akimi Yamaki.