Chevalier21

Aveline nasceu de um fazendeiro orlesiano próximo à cidade de Halamshiral na primeira metade da Era da Tempestade. Ela era um bebê grande e feio, e seu pai esperava por um menino. Não querendo outra boca para alimentar, o fazendeiro deixou Aveline na floresta para morrer de hipotermia. Mas um grupo viajante de elfos Dalish encontrou a criança chorando.

Os elfos a levaram para o seu clã e a criaram como um deles. Eles ensinaram a ela arqueirismo, duelo e habilidades de sobrevivência. Quando ela atingiu a maioridade, ela era maior e mais forte do que a maioria dos homens, para não falar das mulheres elfas. Seus pais adotivos sabiam que ela era uma excelente guerreira, então eles a encorajaram a entrar em um torneio humano na vizinha Montisimmard. Mas mulheres não eram permitidas a entrar na cavalaria em Orlais, nem competir em um torneio, então Aveline entrou no torneio como um homem. Seu clã forjou uma armadura com um elmo completo e deu a ela uma espada de ironbark da melhor qualidade.

Aveline entrou na competição alegando que era um cavaleiro de Antiva. Ela se recusou a tirar o seu elmo, mesmo durante a competição de arqueirismo. E como era de se esperar, Aveline superou muitos outros cavaleiros até que, no grande corpo a corpo, ela topou com Kaleva, um cavaleiro que servia o imperador e era considerado o melhor da nação.

Kaleva estava determinado a não ser derrotado e golpeava rápida e vigorosamente. Conforme Aveline correspondia cada um de seus golpes, Kaleva ficava ainda mais frustrado. Finalmente, em desespero, ele fez Aveline tropeçar e a lançou ao chão. O golpe derrubou o elmo de sua cabeça, e Kaleva ficou envergonhado. Ele pediu para que a competição fosse declarada inválida, mas a multidão vaiou e zombou. Em fúria, Kaleva se virou e matou Aveline enquanto ela jazia indefesa.

O filho do imperador, Príncipe Freyan, também estava presente no torneio. Ele também havia sido derrotado por Aveline, mas reconheceu sua habilidade e bravura e ficou consternado pela injustiça de sua morte. Uma vez que ascendeu ao trono do imperador em 7:44 da Era da Tempestade, Freyan aboliu a lei que proibia as mulheres de entrar para a cavalaria orlesiana e concedeu postumamente o título de amazona a Aveline. Apesar de mulheres na cavalaria orlesiana ainda serem raras hoje, todas aquelas que se tornaram amazonas reverenciam Ser Aveline como sua patrona.

– “Aveline, Amazona de Orlais”, por Lorde Francois Maigny, 8:4 da Era Abençoada

Traduzido por Mey Linhares.